fbpx

Exposição ‘ColonialMente’ estreia em setembro com roda de conversa sobre o Pensamento Decolonial

Exposição ‘ColonialMente’ estreia em setembro com roda de conversa sobre o Pensamento Decolonial

Debater questões voltadas à acessibilidade, democratização e decolonialismo estarão no centro do lançamento da próxima exposição artística da Pinacoteca da AJURIS. A obra ColonialMente, assinada pela jornalista, produtora e artista visual Dedé Ribeiro, estreia no dia 2 de setembro, a partir das 18h30min, com a roda de conversa Pensamento Decolonial, que busca refletir sobre os 200 anos de Independência do Brasil. O evento no Foyer do Foro Central II, em Porto Alegre, será ministrado pelo pesquisador Daniel Colin, doutor e professor em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A exposição ficará disponível até o dia 30 de setembro no saguão do Foro Central II.

Com 14 colagens, ColonialMente traz apontamentos sobre o racismo, o apagamento da cultura indígena e negra, a violência de gênero e o eurocentrismo que estão tão presentes na visão colonial. A ideia de Dedé é fazer uma ponte entre o passado e o presente, mostrando que a violência vivenciada há 200 anos pelos povos negros e indígenas no Brasil foi responsável por construir um pensamento hegemônico colonial. “Essa exposição é minha forma de dizer que não compactuo com o racismo, o machismo, o eurocentrismo ou os valores fortemente estadunidenses, embora me custe muitíssimo reconhecer que tudo isso ainda existe de alguma forma em mim”, afirma a artista.

A África também é bastante representada na obra de Dedé, que já visitou o continente duas vezes. Segundo a artista, raramente se fala da África quando se trata de decolonialismo, pois essa reflexão acaba tendo um foco direcionado a América Latina. “A África passa pelo mesmo problema de apagamento de sua cultura, seu povo é parte significativa do povo brasileiro”, defende.

Jornalista por formação, com mestrado na Universidade de Paris e na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Dedé Ribeiro é referência na produção cultural do Estado. A artista visual já dirigiu importantes centros culturais, como a Usina do Gasômetro e o Santander Cultural. Além disso, é responsável por desenvolver políticas públicas de incentivo à cultura para instituições como Unisinos, Rede Metodista, Centro Histórico-Cultural da Santa Casa e Instituto Ling. 

A Pinacoteca é uma realização tradicional da Vice-Presidência Cultural da AJURIS, que neste ano retomou o seu formato presencial. As próximas obras selecionadas para a mostra serão expostas nos meses de outubro e novembro, conforme o calendário divulgado.

Serviço

O quê: roda de conversa Pensamento Decolonial
Palestrante: Daniel Colin, doutor e professor em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)
Quando: dia 2 de setembro (sexta-feira)
Horário: a partir das 18h30min
Local: Foyer do Foro Central II em Porto Alegre

Confirme sua presença pelo e-mail centraldeeventos@ajuris.org.br