Desembargador Tael recebe comenda da AJURIS

Desembargador Tael recebe comenda da AJURIS

Em sessão solene do Conselho Deliberativo (CD) da AJURIS em formato misto e marcada por muita emoção, o desembargador aposentado Tael João Selistre foi agraciado na tarde desta sexta-feira (6/8) com a Comenda Bonorino Buttelli, por seus relevantes serviços prestados à Associação e ao Judiciário. A solenidade contou com a participação de cerca de 70 magistrados, integrantes da atual gestão e ex-presidentes da AJURIS, familiares e amigos de Tael. A Comenda foi aprovada por unanimidade em sessão do dia 11 de junho do CD.

Ao receber a comenda (representada em uma placa de bronze e uma medalha) das mãos dos presidentes da AJURIS, Orlando Faccini Neto, e do CD, Alexandre Kreutz, e do vice-presidente de Aposentados, Felipe Rauen, Tael disse considerar um reconhecimento a sua vida pública. “Poderia dizer, sem medo de errar, que segui, como bom cristão, a orientação do Eclesiastes, expressada na Segunda Carta de Paulo a Timóteo: combati o bom combate, fiel aos ensinamentos cristãos e aos conselhos recebidos. Por isso agradeço a Deus pelo plano estabelecido para a minha pessoa. Se alguma vitória eu obtive, eu devo tudo a todos, sem os quais eu nada seria, e que moldaram, com humildade, perseverança e estudo, o meu jeito de ser e de agir”, afirmou.

Tael esteve acompanhado da esposa, Alda Regina, e dos filhos Rodrigo e Carla (o filho Diego participou de forma virtual). Em seu discurso, Tael fez um relato de sua atuação, primeiro como promotor de Justiça, depois como magistrado, lembrando de todos os colegas que o acompanharam nessa trajetória. “Nunca sonhei com estas honrarias, mas poderia dizer que todos estes acontecimentos em minhas diversas atividades vieram com o tempo, e que se complementaram com esta comenda, que, tendo surgido de repente, como acontece com tudo em nossas vidas, constituiu-se em um verdadeiro sonho impossível”, afirmou o homenageado. Sobre a esposa, Alda, disse ser “a razão fundamental de eu ter logrado vencer todas as etapas de minha vida, sempre me incentivando e me apoiando, sendo responsável direta pelo meu jeito de ser”.

O Tribunal de Justiça do RS foi representado na sessão solene pela 1ª vice-presidente, Liselena Schifino Robles Ribeiro. O presidente da Associação do Ministério Público do RS, João Ricardo Santos Tavares, também participou da solenidade. Veja algumas manifestações feitas durante a homenagem: 

Orlando Faccini Neto, presidente da AJURIS

“É preciso destacar a altíssima relevância de Tael na defesa dos magistrados, sempre apaziguador dos espíritos. Pelo respeito junto ao Tribunal de Justiça e pela capacidade jurídica em variados campos do Direito, sempre foi o escolhido para nos representar. A magistratura gaúcha é devedora do Tael em diversas de suas pretensões. E quero tocar num ponto polêmico e dar uma opinião pessoal: bendito o Quinto Constitucional que permite que alguém que fez carreira no Ministério Público venha para a magistratura para fazer o que o Tael fez esse tempo todo. Ganhou muito a magistratura do Rio Grande do Sul. Tael é nosso oráculo, o oráculo da AJURIS. A comenda se engrandece ao ser entregue a uma pessoa como ele.”

Alexandre Kreutz, presidente do Conselho Deliberativo da AJURIS

“O Tael é alguém que dedica muito do seu tempo a um espírito coletivo em benefício da AJURIS e do Poder Judiciário. Seu trabalho é a razão do sucesso de muitas de nossas demandas e teve ressonância nas várias últimas administrações da Associação.”

Jayme Weingartner Neto, diretor da Escola da Magistratura da AJURIS

“Desde 1975 Tael é professor da Escola da AJURIS, dando aulas sobre jurisdição e competência. É reconhecido por alunos e por ex-alunos como exemplo de professor do diálogo e da provocação do pensamento crítico.”

Cláudio Martinewski, vice-presidente Administrativo da AJURIS

“Quero destacar o reconhecimento e a admiração e agradecer por tudo que o Tal representa a todos nós. Me inspirou no início da minha carreira não apenas em questões jurisdicionais, mas também de postura em como exercer a magistratura.”

Felipe Rauen, vice-presidente de Aposentados da AJURIS

“Esse comenda deve ser concedida por merecimento. E entre os que se destacam, há os que se destacam mais, que é o caso do Tael. Uma característica que eu destaco: ele está sempre disposto. Uma disposição invejável para o trabalho. Se O Tael se sente honrado com a comenda, eu me sinto mais honrado por ser o proponente da homenagem. Obrigado por tudo que tem feito por nós.”

Gilberto Schäefer, ex-presidente da AJURIS

“Essa homenagem diz muito dos valores que nós admiramos. A gente admira o especialista, o Tael tem amplo conhecimento jurídico, que nos dá segurança, mas também tem atitudes humanas. Como presidente da AJURIS, vi que muitos colegas devem a carreira ao Tael, por conta de defesas muito bem feitas no Tribunal de Justiça, para colocar as coisas nos devidos lugares.”

Eugênio Couto Terra, ex-presidente da AJURIS

“Tael é um colega brilhante, com conhecimento jurídico ímpar e de uma serenidade para ouvir e argumentar até mesmo com os mais inflamados, para expor suas razões com tranquilidade. O Tael é o porto seguro dos presidentes da AJURIS e da magistratura gaúcha.”

João Ricardo dos Santos Costa, ex-presidente da AJURIS e da Associação dos Magistrados Brasileiros

“Passados os anos, o Tael continua atuando com o mesmo vigor. Temos a peculiaridade na magistratura gaúcha de termos figuras que foram professores de todos, que é o caso do Tael. Teve a dimensão, também, de ser o nosso advogado, um grande advogado. Está ao nosso lado em questões particulares e estruturantes, nos embates jurídicos que a magistratura estabeleceu. Isso precisa ser expressado como manifestação de gratidão.”

Denise Oliveira Cezar, ex-presidente da AJURIS

“Eu preciso lembrar de uma faceta muito especial do Tael: o amor pela Justiça e a parceria pelos colegas. O Tael é uma pessoa que fez muitos dos nossos colegas acreditarem no nosso sistema de Justiça.” 

Aymoré Roque Pottes de Mello, diretor do Departamento de Assuntos Previdenciários (DAP) da AJURIS

“Falar do Tael é falar de uma pessoa iluminada que só soma. Mesmo nos entreveros mais renhidos no campo das ideias, o Tael não perde a oportunidade de conduzir o debate ao bom termo e aos consensos possíveis. É um algodão entre os cristais, uma pessoa que só constrói e conquista harmonias pela paz, nunca pela guerra.” 

O homenageado

Nascido em 1941, em Porto Alegre, o desembargador aposentado Tael João Selistre se formou na Faculdade de Direito de Pelotas em 1963. No ano seguinte, fez concurso para pretor e assumiu a Comarca de Canguçu. Em 1965, depois de novo concurso, passou a integrar o Ministério Público do RS e atuou, como promotor, nas Comarcas de Candelária, São Borja, Dom Pedrito, Caxias do Sul e Porto Alegre. Promovido a procurador, atuou nas Câmaras Cíveis do Tribunal de Justiça do RS (TJRS). Na década de 80, foi corregedor-geral do Ministério Público.

Em abril de 1989 foi nomeado pelo governador do Estado como juiz de Alçada, oriundo do Ministério Público, marcando o seu regresso à carreira da magistratura. Em setembro de 1994, foi promovido, por merecimento, a desembargador do TJRS. Na Corte, foi 3º vice-presidente de 1998 a 1999 e, entre 2000-2001, 1º vice-presidente. Aposentou-se em fevereiro de 2003 e passou a se dedicar à advocacia.

A convite da então presidente da AJURIS Denise Oliveira Cezar, o magistrado ingressou no Departamento de Assistência Jurídica (DAJ) em dezembro de 2005. Hoje, integra o Departamento de Assuntos Previdenciários (DAP). Em sua atuação associativa, seus feitos e contribuições foram muitas. No âmbito da atuação em defesa da jurisdição, patrocinou diversas defesas junto ao TJRS, Conselho Nacional de Justiça, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil, entre outras instituições, tanto para os associados quanto em nome da própria Associação. Atuou em assuntos diversos, como a implantação do auxílio-alimentação, movimentação de carreira dos magistrados, reposição e pagamento de retroativos de subsídios, questões previdenciárias e de aposentadoria, entre outros temas.

Comenda Bonorino Buttelli

O desembargador Bonorino Buttelli foi presidente da AJURIS por duas gestões, de 1970 a 1976. De 76 a 77, foi corregedor-geral de Justiça e, na gestão 1986-87, presidiu o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Durante sua trajetória no Judiciário gaúcho, Buttelli sempre construiu imenso prestígio não apenas entre os colegas de toga, mas também entre os demais operadores do Sistema de Direito e a sociedade em geral. Aliava um forte perfil técnico ao conduzir os processos com uma visão social apurada, união de valores que o tornou um dos líderes da magistratura gaúcha.

Buttelli faleceu em setembro de 1990. Em sua homenagem, a comenda foi instituída por assembleia-geral da AJURIS realizada em abril de 1997.