‘A bandeira da educação’, por Leoberto Brancher

‘A bandeira da educação’, por Leoberto Brancher

O conflito em torno da volta às aulas versus pandemia nos reúne em torno de necessidades comuns. Amamos nossas crianças. Amamos a vida. Não queremos perder mais pessoas. Nem oportunidades. Podemos divergir quanto às estratégias, mas todos queremos a melhor solução. A superação de crises exige dar vazão ao fluxo da vida.

Dialogar exige suspender pressupostos e abrir-se ao real na sua complexidade, compartilhado através de múltiplos olhares. Inclusive os nossos. Dialogar numa situação de crise macroinstitucional que envolve um cenário de altos riscos e pressões sociais como estamos vivendo exige coragem e desprendimento. Estamos cansados das polarizações, das intolerâncias e das rupturas que causam ao tecido social. Mas talvez tivéssemos cansado também de acreditar na possibilidade de fazer diferente num ambiente de looping social, que provoca tanto calor e tão pouca luz.

Contrariando o pessimismo, autoridades, sindicatos e sociedade civil vieram sentar-se à mesa virtual da mediação, reacendendo a confiança nas virtudes cívicas e nas melhores tradições do povo gaúcho. Um salto que poderia nos levar ao precipício da discórdia pôde ser convertido num salto quântico, rumo a uma solução de inteligência coletiva e capaz de ativar o sistema imunológico da nossa cidadania. Ainda há muito o que alinhar, mas confiamos que alguma solução de maior sabedoria surgirá da mediação.

Definidos assim os protocolos de segurança, momentos de aplicação e estratégias de fiscalização, ressalta-se a corresponsabilidade da sociedade civil no controle dos combinados, atuan- do junto a cada escola, cidade e região, através dos COE-E – Conselhos Operacionais de Emergência na Educação.

Transformar nossa Justiça de um palco de batalhas num espaço em que todos podem ter o direito a palavra, buscando a melhor forma de proteger a vida de nossas crianças e suas famílias, será uma prova de que, num momento de crise, fomos capazes de nos unir por uma bandeira única: a bandeira da educação.

Leoberto Brancher é desembargador do Tribunal de Justiça do RS e coordenador de formação em Justiça Restaurativa da Escola da AJURIS. Artigo publicado na edição do dia 18 de maio de 2021 do jornal Zero Hora.