‘Auxílio emergencial estadual’, por Carlos Eduardo Richinitti

‘Auxílio emergencial estadual’, por Carlos Eduardo Richinitti

O pior, tantas vezes alertado, infelizmente aconteceu. O colapso hospitalar instituiu a triste, mas democrática fila de doentes à espera de um leito de UTI. Com a morte à espreita, pobres e ricos aguardam em leitos inadequados um atendimento que lhes dê alguma chance de reaver o bem maior: a vida.

Muita coisa levou a isso. Negacionistas e jovens irresponsáveis desconsideraram medidas sanitárias e se aglomeraram em festas suicidas. Hoje, muitos deles estão morrendo ou vivendo com a culpa de terem matado pais, avós, amigos. Estes a vida – ou a falta dela – já se encarregou de penalizar. Não podemos, contudo, desconsiderar que boa parte da população se infectou não por lazer e imprudência, mas por necessidade.

É desgastante, mas fácil se isolar em um condomínio de luxo, trabalhando remotamente. Para muitos, entretanto, um trabalho que garanta o mínimo para a subsistência é uma realidade que não existe nem remotamente. Como pedir que pais não saiam às ruas para buscar o sustento da prole?

No Brasil – país atravessado pela desigualdade -, a pandemia ganha contornos trágicos, pois aqui se luta contra dois vírus: um já com variantes, o outro variando. Nunca precisamos tanto de grandes lideranças, como tem se mostrado Eduardo Leite, que governa com foco na crise, não na reeleição. Assim, governador, esqueça Brasília. Não espere nada razoável de lá. É hora de instituir um fundo estadual para garantir renda mínima àqueles a quem suplicamos que permaneçam em casa.

Realoque verbas do orçamento, busque recursos no sistema bancário e junto aos muitos empresários com consciência social. É hora, sim, de aqueles que ganham mais contribuírem com sua parcela – incluindo nós, do topo do funcionalismo.

Uma guerra se vence com coragem, liderança e sacrifícios. Fiquemos, os que podem, em casa; aos que não podem, alcancemos, enquanto sociedade, condições para que fiquem.

 

Carlos Eduardo Richinitti é desembargador do TJRS. Artigo publicado na edição do dia 12 de março de 2021 do jornal Zero Hora.