AJURIS 76 ANOS | Atuação associativa para a magistratura e para a sociedade

AJURIS 76 ANOS | Atuação associativa para a magistratura e para a sociedade

Um encontro no formato virtual, com caráter informal e com a participação de magistrados com destacada atuação nacional e estadual, celebrou na manhã desta terça-feira (11/8) os 76 anos da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (AJURIS). O presidente da AJURIS, Orlando Faccini Neto, abriu a cerimônia que teve o mesmo tom a unir todos os discursos: a importância da atuação associativa não apenas para a magistratura, mas para garantias democráticas e conquistas sociais que atingem toda a sociedade. A celebração teve a participação de aproximadamente 200 convidados entre a transmissão na sala virtual e pelo canal do YouTube da Associação.

Primeiro a se manifestar, o ministro Paulo de Tarso Sanseverino, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ex-diretor da Escola da Magistratura da AJURIS, foi apresentado pelo atual diretor da instituição, Jayme Weingartner Neto. “A AJURIS é muito mais do que uma associação de classe pois sempre teve uma presença institucional no Rio Grande do Sul e no Brasil”, disse o ministro. Ele lembrou que, depois do período de paz que se sucedeu à Segunda Guerra, o mundo volta a conviver com movimentos fascistas, o que está sendo agravado pela pandemia do coronavírus e pelo uso da mídia digital para a distribuição de fake news. “Nesse momento de crise, instituições como a AMB, no plano nacional, e a AJURIS, no plano regional, têm papel fundamental especialmente para defender a democracia”, afirmou.

Coube ao vice-presidente Administrativo, Cláudio Martinewski, apresentar o segundo convidado, o presidente do Tribunal de Justiça do RS (TJRS), Voltaire de Lima Moraes. “A magistratura gaúcha criou uma associação de alta credibilidade que desfruta de prestígio não só estadual, mas nacional”, disse o chefe do Poder Judiciário gaúcho. Voltaire lembrou que grandes movimentos ocorridos em âmbito nacional tiveram a participação da AJURIS como protagonista das transformações. “Movimentos como a criação dos juizados especiais, questões previdenciárias, defesa dos Direitos Humanos e do estado democrático de direito, bandeira colocada num pedestal de destaque, fizeram parte de todo o trabalho que a AJURIS vem desenvolvendo ao longo dos anos”, afirmou. Também destacou o lado social da Associação, citando campanhas como o Cozinha Solidária e o Drive Thru da Solidariedade, que estão em andamento, como exemplos de que a Associação não atua apenas por pautas corporativas, mas também se move ao encontro das necessidades sociais. “A atividade associativa é desbravadora, pois ali que nascem as ideias para o futuro, que são levantadas as grandes bandeiras”, disse o presidente do TJRS.

A apresentação da presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Renata Gil, foi feita pela vice-presidente Social da AJURIS, Káren Rick Danilevicz Bertoncello. Em sua exposição, a líder da entidade nacional destacou que “a contribuição do associativismo para o país é gigantesca”. Renata lembrou que a atuação das entidades, hoje, também é pautada pelas consequências do enfrentamento que a Justiça brasileira faz contra a corrupção e a injustiça social, que geram desgaste principalmente para o Poder Judiciário, um dos garantidores do estado democrático de direito. “Quero enaltecer o papel do associativismo no fortalecimento da democracia. Há uma história do trabalho do associativismo na agenda do Judiciário e na proteção da sociedade”, afirmou.

A fala do conselheiro Mário Augusto Guerreiro, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), foi apresentada pelo vice-presidente de Patrimônio e Finanças da AJURIS, Mauro Peil Martins. Guerreiro disse que a atuação das entidades regionais é fundamental para que o Conselho conheça a realidade do trabalho dos juízes e das juízas nas diferentes comarcas do Brasil. “Há temas que vamos avançar no CNJ e precisamos da atuação das associações, que trazem para Brasília a posição da magistratura. O papel das associações é fundamental nessa articulação, de levar preocupações que muitas vezes não estão sendo contempladas”, afirmou. Também destacou que o papel das entidades é colocar o CNJ em contato com “grandes colegas que são especialistas em assuntos” que compõem a pauta do Conselho.

Depois das manifestações dos convidados, o vice-presidente de Aposentados da AJURIS, Felipe Rauen, relembrou parte da história da criação da Associação e destacou a atuação dos magistrados e magistradas gaúchas ao longo do tempo, participando de momentos importantes para o mundo jurídico brasileiro como a elaboração do Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca), do Código de Defesa do Consumidor e dos juizados especiais e da disseminação da Justiça Restaurativa. “Mas foi em 1988, durante a elaboração da Constituição, que certamente a AJURIS se impôs nacionalmente”, disse Rauen.

Na sequência da cerimônia, a vice-presidente Cultural, Márcia Kern, apresentou uma atração preparada especialmente para o evento: um clipe da música Enquanto Houver Sol gravado com a participação de um grupo de juízas e juízes que assumiram os instrumentos e os vocais para apresentar a música do Titãs. A vice-diretora da Escola da Magistratura, Patrícia Laydner, lembrou que o clipe retrata bem o “jeito AJURIS”: é “a união de diferentes colegas que sempre se entendem”.

O presidente da Associação fez o encerramento da cerimônia. Faccini disse que o formato do evento, com a participação dos vices-presidentes e da direção da Escola da AJURIS, é uma marca da gestão que está à frente da entidade nos 76 anos: “É um sinal de que a AJURIS é de todos nós, todos fazemos parte dessa associação, é uma direção compartilhada.” Por fim, deixou uma mensagem sobre a atuação dos juízes e juízas gaúchas. “A grande beleza da magistratura é que somos pessoas diferentes, com perspectivas de mundo diferente, e é essa a grande riqueza da carreira maravilhosa que nos faz interferir na vida das pessoas sempre movido pelas boas intenções. Quem estiver aberto a entender a heterogeneidade da magistratura ganha da vida um conhecimento fabuloso de lidar com gente, e ligar com gente é sempre enriquecedor”, finalizou.

O clipe gravado pelos juízes e juízas pode ser visto no link abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=ODc92p_7UvI