Magistrada confecciona sabonetes artesanais para doação em Bento Gonçalves

Magistrada confecciona sabonetes artesanais para doação em Bento Gonçalves

Uma das premissas para evitar a transmissão da Covid-19 é o cuidado com a higienização. Mas como fazer isso em um cenário em que parte da população não têm acesso aos itens básicos de higiene?

Preocupada em colaborar para resolução do problema, mas sem descuidar do meio ambiente, a juíza de Direito da 3ª Vara Cível de Bento Gonçalves, Romani Terezinha Bortolás Dalcin, está produzindo sabonetes artesanais: “Considerando a necessidade de lavar as mãos com sabão frequentemente e a impossibilidade de algumas pessoas comprarem sabão, resolvi agir”, conta.

Com o apoio de vizinhos e amigos, a magistrada conseguiu arrecadar óleo de cozinha reutilizado, que possivelmente seria descartado na natureza, e que serve de base para a produção de sabão.

Romani Dalcin já produziu mais de 600 unidades. Para aromatizar está utilizando produtos do próprio jardim, como lavanda, alecrim, capim limão, hortelã, verbena, casca de laranja e canela, além de glicerina que atua como emoliente.

Os itens foram doados para o Lar da Caridade, que presta assistência social à população de Bento Gonçalves, inclusive oferecendo espaço para as pessoas em situação de rua tomarem banho. As doações feitas por Romani ainda beneficiaram os trabalhadores que atuam na limpeza urbana.

 

Máscaras 

Em março, quando foram adotadas as primeiras medidas de isolamento social, a magistrada, que atua em Bento Gonçalves, também liderou uma ação de produção de máscaras de tecido, que foram doadas para a comunidade, iniciativa que continua desenvolvendo até hoje.

O uso de máscaras é obrigatório no Rio Grande do Sul desde o dia 11 de maio, em recinto coletivo, seja ele público ou privado, fechado ou aberto. A confecção de uso de máscaras de tecido laváveis, são recomendação oficial dos órgãos de saúde.