Voltaire de Lima Moraes é eleito presidente do TJRS para o biênio 2020/2021

Voltaire de Lima Moraes é eleito presidente do TJRS para o biênio 2020/2021

O desembargador Voltaire de Lima Moraes foi eleito presidente do Tribunal de Justiça (TJRS) para o biênio 2020/2021 com 76 votos.  As eleições para a Administração da Corte ocorreram na tarde desta segunda-feira (2/12), e a direção da AJURIS acompanhou a votação no Plenário do TJRS.

Também compõem a administração eleita do Tribunal: a 1ª vice-presidente, Liselena Schifino Robles Ribeiro; o 2º vice-presidente, Ícaro Carvalho de Bem Osório; o 3º vice-presidente, Ney Wiedemann Neto; e a corregedora-geral da Justiça, Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak, todos eleitos por aclamação. 

Segunda colocada na votação eletrônica, a desembargadora Denise Oliveira Cezar obteve com 56 votos. 

A presidente da AJURIS,desembargadora  Vera Lúcia Deboni, também votou e saudou o presidente eleito. “A AJURIS espera que a vitória do desembargador Voltaire signifique o reforço do diálogo constante entre nossa Associação e o comando do Poder Judiciário do Estado, o que é fundamental para a classe e para a atuação em defesa das prerrogativas da magistratura”, afirmou.

A posse da nova gestão do TJRS será no dia 3 de fevereiro de 2020.

Biografia de Voltaire de Lima Moraes

Natural de Cachoeira do Sul, é bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1977. Mestre e Doutor em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), instituição em que também é professor da Faculdade de Direito.

No TJRS atuou como  2º vice-presidente no biênio 2010/2012. Na mesma gestão foi corregedor-geral da Justiça interino, de abril a dezembro de 2012. Também presidiu o Conselho de Relações Institucionais e Comunicação Social do TJRS na gestão 2008/2010, além de membro do Conselho de Administração e Planejamento no período de 2000 a 2002.

Nomeado Juiz do Tribunal de Alçada em 1997, em vaga de representando a classe do Ministério Público, foi promovido a desembargador do Tribunal de Justiça em 1998, integrando a 11ª Câmara Cível do TJRS, a qual presidiu.

Ministério Público

Ingressou no Ministério Público em 1980, tendo atuado como promotor de Justiça nas comarcas de Ibirubá, Cerro Largo, Espumoso, Uruguaiana, Esteio e Porto Alegre. Promovido a Procurador de Justiça, foi Procurador-Geral de Justiça por duas gestões. Foi, também, Presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça e da Confederação Nacional do Ministério Público.

Na vida associativa foi diretor do Departamento de Estudos e Reformas da AJURIS. Também presidiu a Associação do Ministério Público do RS (AMP/RS) de 1988 a 1990, entidade em que também foi diretor e vice-presidente.