Memória AJURIS 75 anos: As mobilizações em defesa da magistratura na gestão de Tanger Jardim

Memória AJURIS 75 anos: As mobilizações em defesa da magistratura na gestão de Tanger Jardim

Um novo capítulo dos 75 anos de história da AJURIS é contado a partir da visão de Antônio Guilherme Tanger Jardim, que presidiu a entidade no biênio 1998/1999. A gestão de Jardim foi um período de intensas mobilizações na magistratura.

Na época, as discussões sobre a Reforma do Judiciário ganhavam força no Congresso Nacional, e entre as propostas legislativas duas questões tentavam coibir a atuação dos magistrados: a Lei da Mordaça e a CPI do Judiciário. 

No vídeo do projeto Memória AJURIS 75 anos, Jardim conta que, durante a tentativa parlamentar de instalação da CPI, os juízes abriram mão do sigilo fiscal como prova da idoneidade. A mobilização iniciada no Rio Grande do Sul, contou com a adesão da magistratura nacional.

Jardim também resgata a experiência inovadora de implantação do Juizado de Pequenas Causas e da importância da criação do Departamento de Futebol na união dos magistrados.

GESTÃO 1998/1999

Presidente: Antônio Guilherme Tanger Jardim
Vice-presidente Administrativo: Luiz Felipe Silveira Difini
Vice-presidente Patrimônio e Finanças: Benedito Felipe Rauen Filho
Vice-presidente Cultural: Breno Moreira Mussi
Vice-presidente Social: Elaine Harzheim Macedo

CONFIRA:

 

PROJETO MEMÓRIA AJURIS 75 ANOS

O Memória AJURIS 75 anos resgata a história da Associação pela voz dos ex-presidentes da entidade. O projeto foi desenvolvido pelo Departamento de Comunicação da AJURIS, com produção e entrevistas de Joice Proença e direção geral do projeto, imagens e edição de Vinicios Sparremberger.

O Departamento de Comunicação é dirigido por Max Akira Senda de Brito e coordenado pelo jornalista-chefe Alexandre Bach.

Essas e outras histórias em: ajuris.org.br/videos